Elon Musk quer ligar cérebro diretamente aos computadores a partir do próximo ano

neuralink-elon-musk-spacex-tesla
Elon Musk – fundador da Neuralink

O fundador da Tesla e da SpaceX anunciou a meta de implantar chips em cérebros humanos já no próximo ano para criar conexões humanas diretas com computadores.

Elon Musk, fundador da SpaceX e Tesla, delineou seus planos de conectar os cérebros humanos diretamente aos computadores na noite de terça-feira (16/07/2019), descrevendo uma campanha para criar “simbiose com inteligência artificial”. Ele disse que o primeiro protótipo pode ser implantado em uma pessoa até o final de 2020.

Chegar a esse objetivo “levará muito tempo”, disse Musk em uma apresentação na Academia de Ciências da Califórnia, em San Francisco, observando que é difícil garantir a aprovação federal para dispositivos neurais implantados. Mas testes em animais já estão em andamento, e “um macaco conseguiu controlar o computador com seu cérebro”, disse ele.

Musk fundou a Neuralink Corp. em julho de 2016 para criar “interfaces cérebro-máquina com largura de banda ultra-alta para conectar humanos e computadores”. A empresa disse em 2017 que seu objetivo inicial era criar interfaces cerebrais para aliviar os sintomas das condições médicas crônicas.

Presume-se que Musk aposta em algo muito maior. Ele frequentemente adverte que o rápido avanço da inteligência artificial, ou IA, ameaça deixar a humanidade no pó, chamando-a de risco existencial.

Musk repetiu que um dos objetivos da Neuralink era tratar os distúrbios cerebrais, dizendo: “Podemos resolver isso com um chip”.

Mas ele continuou dizendo que também procura ajudar a “preservar e melhorar seu próprio cérebro” e “criar um futuro bem alinhado”.

neuralink-elon-musk
O próximo passo na evolução humana. Shutterstock

Como antes, Musk advertiu que, do jeito que está, a humanidade corre o risco de ser deixada para trás pelo rápido avanço da inteligência artificial, ou IA – “mesmo em um cenário benigno de inteligência artificial – esperamos ter um cenário benigno”.

Para Elon Musk, abordar isso exigirá uma maneira de o cérebro “fundir-se” com IA, provavelmente através de minúsculos chips implantados no cérebro através de uma incisão de 2 milímetros para criar o que ele chamou de “algum tipo de simbiose com inteligência artificial, com o objetivo de garantir o futuro da humanidade como uma civilização em relação à IA”.

Segundo Musk, o maior obstáculo técnico é a largura de banda, ou seja, as ferramentas que os humanos usam para fazer interface com computadores, como os atuais sistemas de hardware e smartphones.

Enquanto a empresa Neuralink pretende implantar o primeiro chip em um paciente humano antes do final de 2020, Elon Musk reconheceu que a meta maior levará muito tempo. Ainda assim, a maior esperança é “algum tipo de simbiose com a inteligência artificial”, que, segundo ele, cria raízes “em escala civilizacional”.

“Com uma interface cerebral de alta largura de banda, acho que podemos ter a opção de se fundir com a IA”, disse ele.

Questionado sobre como a Neuralink poderia tornar esse sistema avançado acessível e amplamente disponível, Musk disse que a infraestrutura seria tão simples que não precisaria de neurocientistas caros para implantar e manter.

“Eu acho que é seguro dizer que você pode pagar o empréstimo com inteligência super-humana”, disse ele. “Eu acho que é uma aposta segura.”

Em novembro, Musk elogiou “uma extensão de inteligência artificial de si mesmo” em uma entrevista com o comediante e apresentador de podcast Joe Rogan, dizendo: “Se você não pode vencê-lo, junte-se a ele”.

“Do ponto de vista existencial de longo prazo, esse é o objetivo da Neuralink: criar uma interface de alta largura de banda para o cérebro, de modo que possamos ser simbióticos com a IA”, disse ele. “Porque nós temos um problema de largura de banda. Você simplesmente não consegue se comunicar através de seus dedos. É muito lento.”

Tal interface, ele afirmou, permitiria “qualquer um que queira ter cognição super-humana – qualquer um que queira.” Em algum momento, ele disse, as pessoas seriam capazes de “carregar em uma nova unidade, literalmente”, quando morrem.

Essas promessas de alto sucesso convenceram alguns pesos pesados.

Os mais recentes comunicados da Neuralink ao Form D foram arquivados na Securities and Exchange Commission, SEC, em maio, e revelaram que a empresa tinha levantado mais de US$ 39 milhões de sete investidores – mais de três quartos de sua meta.

Fonte: NBC NEWS

3 comentários em “Elon Musk quer ligar cérebro diretamente aos computadores a partir do próximo ano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *